Artigos

Filmes e Séries sobre o Dia da Consciência Negra

Entre outras subjetividades, a arte serve o propósito de refletir as mudanças e estruturas do tecido social, em cada período da humanidade.

Por isso, sempre foi utilizada como a principal maneira de expressão, individual ou coletiva.

Dentre as diversas plataformas consideradas artísticas, o cinema reserva um lugar de especial impacto, tanto pelo seu apelo audiovisual quanto por sua monstruosa capacidade de alcance.

Diferente de outros meios, os filmes e seriados possuem uma janela direta para milhões de milhares de telas no mundo todo, sejam elas em cinemas, TVs, computadores ou smartphones.

É um mercado multibilionário porque atinge todos os grupos da sociedade, não importando cor, credo, gênero, posição econômica ou social.

No entanto, atingir não significa conversar; dialogar.

Até hoje, a discrepância na representatividade das consideradas minorias nas superproduções é alarmante.

Porém, de tempos em tempos, surgem novos movimentos como o “Black Lives Matter” e o #OscarsSoWhite, ambos nos EUA, que trazem à tona a questão da representatividade e igualdade de direitos. Neste caso, da comunidade negra norte-americana.

Hoje, no Dia da Consciência Negra, separamos algumas produções que buscam contribuir e enriquecer ainda mais essa discussão.


Fogo contra Fogo (2019)

Filme que estreia hoje nos cinemas, é baseado na história real de Solomon Kalushi Mahlangu (Thabo Rametsi), um jovem vendedor que, atraído pelo movimento de libertação durante o período opressor do Apartheid sul-africano, acaba por sofrer duas acusações de homicídio e ter que provar sua inocência.

 

Do the right thing (1989)

Um dos clássicos da carreira de Spike Lee, Faça A Coisa Certa se passa no Brooklyn, bairro negro de Nova York, e acompanha a tensão no local quando um homem branco, proprietário de uma pizzaria, se recusa a pendurar imagens de celebridades negras no restaurante. O longa faz alusão ao grupo Panteras Negras, além de Martin Luther King e Malcolm X.

 

Pantera Negra (2018)

Aclamado filme do Marvel Studios, conta mais do que a história do herói T’Challa (Chadwick Boseman). O longa se destaca dos demais filmes do estúdio ao trazer para as telas a representatividade negra com cenários, vestimentas e dialetos da cultura africana. Ele levanta uma discussão positiva sobre o racismo e já é um marco do cinema atual.

 

Get out! (2017)

Corra!, primeiro filme dirigido por Jordan Peele, foi um dos mais aclamados de 2017. A trama acompanha Chris (Daniel Kaluuya), um jovem fotógrafo que viaja para conhecer a família de sua namorada e teme não ser aceito por ser negro. Com o passar dos dias, ele descobre um segredo obscuro que coloca sua vida em risco. Peele foi o primeiro diretor negro a receber um Oscar de Melhor Roteiro Original.

 

Moonlight (2016)

Concentrado na trajetória de Chiron, o filme ganhador de três Oscar em 2017, trata, entre diversas questões, sobre a busca identitária e de autoconhecimento por parte de um homem negro que sofre com bullying desde pequeno e tem proximidade com questões de vulnerabilidade social, como tráfico, pobreza e rotina violenta.

 

BlacKkKlansman (2018)

Dirigido por Spike Lee, trata de um policial negro do Colorado que, em 1978, conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se comunicava com a seita por telefonemas e cartas. Quando precisava estar pessoalmente, enviada um policial branco no lugar. Assim, Ron Stallworth conseguiu se tornar líder do grupo, sabotando uma série de crimes de ódio cometidos pelos racistas.

 

12 anos de Escravidão (2013)

Filme vencedor de 3 Oscars sobre a história real de Solomon Northup, um negro livre que foi raptado em 1841 e vendido como escravo. Com Chiwetel Ejiofor no papel principal.

 

Histórias Cruzadas (2011)

Uma escritora branca abala o status quo do Mississipi dos anos 1960 ao entrevistar empregadas domésticas negras e divulgar suas histórias.

 

Bem-vindo a Marly-Gomont
 (2016)

Seyolo Zantoko (Marc Zinga) é um médico que acabou de se formar em Kinshasa, capital do seu país natal, o Congo. Ele decide ir para uma pequena comunidade francesa por conta de uma proposta de trabalho e, junto da família, precisa enfrentar o racismo de frente para alcançar seus objetivos.

 

Selma (2014)

Diante de violentos ataques racistas, Martin Luther King Jr. lidera um protesto no Alabama que culmina na marcha histórica da cidade de Selma a Montgomery.


 

Watchmen (2019)

Nova série da HBO, baseada no quadrinho homônimo de Alan Moore, traz à tona logo em seu primeiro capítulo o massacre de 1921 que destruiu próspera comunidade de Greenwood, em Tulsa (Oklahoma), também conhecida como a ”Wall Street Negra” antes dos ataques.

 

Dear White People (2017)

Série da Netflix que mostra com humor satírico as complexas relações “pós-raciais” nos Estados Unidos dos anos 1960 e 1970, com um grupo de alunos negros que integra uma universidade de elite.

 

The Get Down (2016)

Série da Netflix sobre a música e a vibrante cultura negra do sul do Bronx dos anos 1970.

 

A 13ª Emenda (2016)

Estudiosos, ativistas e políticos analisam a correlação entre a criminalização da população negra dos EUA e o boom do sistema prisional do país.

 

Os Panteras Negras: Vanguarda da Revolução (2015)

O documentário de 2015 da Netflix reúne fotografias, cenas históricas e depoimentos de Panteras e agentes do FBI para compreender a trajetória do movimento, a mais importante organização civil dos Estados Unidos no século passado, que utilizou de diversas estratégias para combater o racismo e a violência policial que vitimava a comunidade negra com frequência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cursos
Cursos, Webinars
Esquizofrenia – Revisão I
Cursos, Webinars
Fobia Social
Cursos, Webinars
Entendendo a depressão