Artigos

Meditação e técnicas de respiração para controle da Obesidade

Apesar dos benefícios da meditação serem difundidos por diversas filosofias orientais há milênios, foi apenas de algumas décadas para cá que o mundo todo passou a adotar essa prática, que faz tão bem para nossa mente e corpo.

Entre as positividades da meditação, podemos citar:

  • redução dos níveis de estresse;
  • aumento da capacidade de concentração e memorização;
  • desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático;
  • desenvolvimento da criatividade;
  • redução significativa da violência;
  • equilíbrio do campo emocional;
  • redução da dor crônica;
  • redução da ansiedade generalizada;
  • aumento da imunidade.

Por isso, muitos estudos consideram a meditação como um “treino da atenção plena à consciência do momento presente”. Isso significa que meditar é uma prática, como qualquer outra. Assim como treinamos nosso corpo, nós também temos a capacidade de treinar nossa mente para que ela responda de maneira mais saudável aos desafios do dia a dia.

A técnica de Mindfulness

Assim como qualquer treinamento físico, a meditação também tem tipos e diferentes práticas que podem ser seguidas.

Uma dessas práticas – que ganhou bastante adeptos nos últimos anos – é a Mindfulness, ou “atenção plena”, em tradução livre. Ela consiste em treinar nosso cérebro para sair do piloto automático e livrar nossa mente de distrações, enquanto executamos uma tarefa.

Em outras palavras, Mindfulness é um conjunto de técnicas práticas, possíveis e cientificamente comprovadas, que ajudam a focar no momento presente, sem deixar-se afetar pelo passado ou futuro.

Além de tornar nossa mente mais desperta e saudável, essa técnica ajuda a diminuir a ansiedade, prevenir a depressão e aumentar a satisfação com o próprio corpo. Por esses motivos que a meditação se tornou uma grande aliada no combate à certos distúrbios da nossa mente, como, por exemplo, a compulsão alimentar.

O que é o Transtorno de Compulsão Alimentar?

Apesar de todos nós termos uma tendência a comer demais, principalmente quando almoçamos ou jantamos nosso prato favorito, comer compulsivamente é um transtorno da mente e precisa ser tratado.

As pessoas com Transtorno de Compulsão Alimentar têm o hábito de comer compulsivo e consomem enormes quantidades de alimentos, perdendo o controle e não param de comer até que estejam com mal estar ou acabado com a comida disponível.

Características do Transtorno de Compulsão Alimentar:

  • Episódios frequentes de incontrolável compulsão alimentar;
  • Sentimento de extrema angustia e tristeza, durante e/ou depois de comer compulsivamente;
  • Diferente de outros distúrbios, a prática de exercício ou vômitos não funciona como modo de compensar os excessos;
  • Apesar do desgosto e depressão, devido a esse comportamento, a pessoa acredita ser incapaz de controlar-se.

Atenção plena x Compulsão

Devido ao seu potencial benéfico para nosso organismo, é cada vez maior a quantidade de estudos que buscam entender os ‘poderes’ da meditação aplicada em diferentes áreas da saúde.

Entre esses estudos, uma pesquisa liderada pela Prof. Jean Kristeller, criadora do programa chamado MB-EAT, descobriu que a meditação mindfulness tem o poder de influenciar positivamente pessoas com transtornos alimentares.

A Mindful Eating, ou “comer com atenção plena”, é uma técnica que prega o estar consciente sobre o que você come e é considerada uma das mais inovadoras estratégias auxiliares no tratamento de distúrbios alimentares, como a compulsão.

A alimentação consciente envolve:

  • desfrutar da comida;
  • valorizar as diversas cores e texturas;
  • sentir a fragrância e o aroma do alimento;
  • comer devagar;
  • saborear os vários ingredientes.

Esse estado de consciência traz de volta o controle sob cada mordida e ajuda nosso cérebro a identificar quando parar de comer.

Quando deixamos de lado o modo multitarefa (comer na mesa durante o trabalho, checar o celular ao longo das refeições, comer assistindo filmes ou séries, etc.) podemos respirar e prestar atenção no que comemos. Desse modo, podemos identificar todos os gatilhos que nos fazem comer. Aprendendo a lidar com esses gatilhos físicos e emocionais, aumentamos nossa percepção para a fome e a saciedade.

Como dissemos antes, é um treinamento. E, assim como os exercícios físicos, a meditação pode demorar um pouco para mostrar resultados. Porém, seguindo as orientações e praticando, qualquer um pode ter uma mente muito mais saudável e consciente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cursos
Cursos, Webinars
Esquizofrenia – Revisão I
Cursos, Webinars
Fobia Social
Cursos, Webinars
Entendendo a depressão