Artigos

Alucinações associadas ao uso de drogas

Quando um indivíduo perde seu equilíbrio mental ou emocional, privando-se do entendimento sobre tudo aquilo que o cerca e do uso da razão, ele pode passar por uma experiência de alucinação.

Chamamos de alucinação quando uma pessoa tem a percepção de que algo que não existe faz parte da realidade. Assim, pessoas que sofrem com esse transtorno mental, relatam vivências bem realistas sobre coisa que não são reais.

As alucinações podem afetar todos os cinco sentidos do ser humano: audição, gustação, olfato, tato e visão. No entanto, as alucinações auditivas e visuais costumam ser as mais frequentes.

Uma série de fatores pode desencadear uma alucinação em um indivíduo, e entre as principais causas de alucinação estão: doenças de gravidade alta (tumor cerebral, AIDS, deficiência renal etc.), epilepsia, febre, narcolepsia, transtornos psiquiátricos (depressão psicótica, esquizofrenia etc.) e uso abusivo de substância lícitas ou ilícitas.

O impacto dos narcóticos no cérebro:

O consumo de drogas faz com que o usuário experimente sensações como euforia, excitação e mudanças na percepção que tem da realidade. Ou seja, as drogas afetam a consciência dos indivíduos que fazem uso delas. E as substâncias fabricadas em laboratório costumam ser as mais perigosas porque são as que têm mais potencial alucinógeno (são drogas também conhecidas como perturbadoras). No começo, o consumo destas drogas pode dar uma sensação de prazer para seu usuário, mas essas substâncias também podem desencadear sensações de pânico e levar as pessoas a situações extremas que colocam sua vida ou a de quem está próximo em risco.

Separamos os efeitos que algumas drogas alucinógenas podem ter:

  • Dietilamina do ácido lisérgico: popularmente conhecido como LSD, essa substância afeta os padrões de conectividade do cérebro e é uma das drogas alucinógenas mais potentes. Essa droga faz com que haja uma diminuição das oscilações elétricas em quase todo o córtex cerebral, diminuindo também a sincrônica entre os neurônios. Isso impacta também no córtex visual, atingindo a área responsável pelos estímulos visuais. Essas alterações podem ser as responsáveis pelos efeitos de alucinação visual e no estado de consciência nos seus usuários.  
  • Fenciclidina: também conhecida como PCP ou “pó de anjo”, essa substância causa a sensação de invencibilidade e de euforia em seus usuários. A droga age bloqueando os receptores cerebrais para o neurotransmissor glutamato. Esse narcótico é extremamente perigoso porque além de desencadear sintomas muito parecidos com o da esquizofrenia, provoca um comportamento autodestrutivo. Durante uma alucinação de PCP, o usuário pode ter convulsões, tentar se automutilar ou pular de uma janela.
  • MetilenoDioxoMetAnfetamina: mais conhecida como Ecstasy ou MDMA, essa substância causa efeitos estimulantes (aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, boca seca, náusea e sudorese). Além disso, seu usuário pode experimentar o estado de sensação e de euforia, uma combinação bem perigosa. Isso acontece porque a droga afeta a serotonina no nosso cérebro, e além da euforia pode causar distorção de percepção da realidade – desencadeando as alucinações.
  • Psilocibina: é o princípio ativo presente nos chamados cogumelos alucinógenos. Quando esses cogumelos são ingeridos, a psilocibina se decompõe em todo o nosso organismo. Essa substância afeta os receptores de serotonina do nosso cérebro, causando sinestesia (associação de sensações de caráter distinto) e alucinações. Por isso, quem consome esses cogumelos pode tanto ouvir vozes quanto enxergar cores inexistentes.   

Diagnóstico e tratamento:

Para diagnosticar um indivíduo com alucinações é necessário um atendimento clínico. É recomendado que o paciente vá na companhia de algum familiar ou amigo que possa ajudar a compartilhar com o especialista as informações sobre o uso de substâncias e os relatos sobre essas alucinações. Recomenda-se a opinião de um médico psiquiatra.

Os medicamentos mais comuns no tratamento das alucinações, costumam ser a Olanzapina (ZAP). Porém, além do uso de drogas, as alucinações podem ser causadas por outros fatores e, por isso, o tratamento pode variar de acordo com o diagnóstico médico.

Somente um especialista pode informar sobre o tempo de tratamento e sobre os medicamentos e suas dosagens. E, dependendo da gravidade do caso e do vício em algumas dessas substâncias, o profissional de saúde pode recomendar uma internação e um atendimento multidisciplinar.

E é preciso relatar que quem sobre com esse tipo de transtorno precisa ter, além do suporte médico, o apoio familiar.

Para acessar esse e outros conteúdos, acesse nossas redes sociais e compartilhem! Até breve!

Referências:

  1. Veja como as drogas alteram o funcionamento do cérebro: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Neurociencia/noticia/2015/03/veja-como-drogas-alteram-o-funcionamento-do-cerebro.html#:~:text=Aspirada%2C%20fumada%20ou%20injetada%2C%20n%C3%A3o,de%20dopamina%2C%20psicoativo%20da%20coca%C3%ADna.
  2. O que é alucinação? O que fazer em uma crise?: https://hospitalsantamonica.com.br/o-que-e-alucinacao-o-que-fazer-em-uma-crise/
  3. Veja quais são os 5 principais efeitos das drogas no organismo!: https://hospitalsantamonica.com.br/veja-quais-sao-os-5-principais-efeitos-das-drogas-no-organismo/
  4. 8 alucinógenos que alteram a mente humana: https://hypescience.com/8-alucinogenos-que-alteram-a-mente-humana/
  5. Alucinação: tratamentos e causas: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/alucinacao#:~:text=Entre%20as%20principais%20causas%20de,renal%20e%20tumores%20no%20c%C3%A9rebro
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cursos
Cursos, Webinars
Esquizofrenia – Revisão I
Cursos, Webinars
Fobia Social
Cursos, Webinars
Entendendo a depressão