Artigos

Os benefícios da Natação para crianças com TEA

Neste Dia Mundial da Natação, vamos explorar quais são os verdadeiros benefícios desse esporte como um tratamento alternativo para crianças que vivem dentro do espectro do autismo.

Mas, primeiramente, vamos entender um pouco mais sobre o que é o TEA!

O que é o Transtorno do Espectro Autismo?

O autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista, é um transtorno global do desenvolvimento, caracterizado principalmente pela dificuldade de relacionar-se socialmente e de comunicar-se.

Pode ocorrer em diferentes graus e ainda, ser classificado em três tipos: autismo clássico, autismo de alto desempenho e transtorno global de desenvolvimento sem outra especificação.

É denominado como um espectro por englobar não apenas o transtorno autista, mas também uma série de distúrbios, como: transtorno desintegrativo da infância, transtorno generalizado do desenvolvimento não especificado (PDD-NOS) e a Síndrome Asperger.

Dificuldades encontradas por pessoas no espectro

Pessoas com autismo muitas vezes se fecham em um mundo particular e podem apresentar um padrão restrito e repetitivo de comportamento. São resistentes a mudanças na rotina, evitam o contato físico e podem apresentar hipotonia (baixo tônus muscular) ou hipertonia (alto tônus muscular).

Um fato importante para entendermos a doença é que o autismo é uma condição permanente. Ou seja, uma criança ao nascer com autismo vai se tornar um adulto autista, não há ‘cura’ para esta condição. O que existem são tratamentos para amenizar as dificuldades que essa pessoa pode encontrar ao longo da sua vida, sejam elas sociais ou de comunicação e motoras.

Entre outros tratamentos alternativos, a natação é uma ótima opção, pois oferece possibilidades de estímulos e desenvolvimento necessários à pessoa autista, principalmente na fase criança.

Como a natação pode ajudar?

A natação é uma das atividades físicas que mais desenvolve um trabalho corporal completo, sendo muito indicada por profissionais na hora da reabilitação física.

No caso de crianças com TEA, ela funciona como um possível tratamento complementar, tanto de reabilitação física e mental, como de incorporação em um ambiente social.

Reabilitação física

O uso da natação na reabilitação física para crianças autistas se baseia nos movimentos dos nados, que geram uma semelhança com os movimentos diários (andar, brincar, levantar, arrastar, etc.). É, portanto, um trabalho de conhecimento do próprio corpo e autoaceitação.

Além disso, atividades na piscina podem ajudar nos seguintes pontos:

  • Estimulação motora, proporcionada pelo ambiente aquático e pelas habilidades variadas;
  • Melhora da coordenação física, do equilíbrio, da postura, do ritmo, da flexibilidade e da lateralidade;
  • Aprimoramento do esquema corporal, da orientação espacial e corporal;

Espaço Temporal

Uma das dificuldades do autista é a organização do seu espaço temporal. Assim, através de músicas, brinquedos e outros objetos utilizados na aula – junto com uma metodologia que organize cada um no seu tempo e exercício adequado – é possível conseguir a atenção da criança mais facilmente e, desse modo, realizar um trabalho efetivo.

Conquista da Independência

Ao apresentar a piscina à criança logo na primeira aula (local de entrada e saída, onde guardar os brinquedos, etc.) essa introdução de organização servirá de norte para que nas próximas atividades ele já esteja mais à vontade.


Assim, a criança irá aprender a se deslocar pela piscina e terá certa independência na água refletindo essa atitude no seu dia-a-dia.

É muito importante reforçar que todo trabalho realizado com a criança autista parte do objetivo de desenvolver ao máximo a percepção de que ela pode ter sua independência e viver com o transtorno, ao mesmo tempo.

Qualidade de vida social


O contato da criança com a piscina, os colegas e com o professor, permite trabalhar aspectos como a afetividade, a auto-confiança e a criatividade. Desenvolvendo-se atividades físicas, psicológicas, de aprendizagem e afetivas, facilitando a reintegração social da criança.

Como essas aulas de natação são estruturadas?

De acordo com a literatura especializada, algumas estratégias têm se mostrado eficientes no atendimento a crianças autistas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cursos
Cursos, Webinars
Esquizofrenia – Revisão I
Cursos, Webinars
Fobia Social
Cursos, Webinars
Entendendo a depressão